TudoSobreTudo

quinta-feira, 4 de junho de 2015

HSBC faz acordo milionário para se livrar de investigação na Suíça


Banco disse que concordou em pagar compensação equivalente a R$ 134,5 milhões por não ter conseguido evitar crimes financeiros no passado, como o de lavagem de dinheiro

agência do HSBC em Nova York
HSBC concordou em pagar multa de 40 milhões de francos suíços (cerca de 134,5 milhões de reais)(Andrew Burton/Stringer/Getty Images/VEJA)
O HSBC concordou em fazer um acordo de 40 milhões de francos suíços (cerca de 134,5 milhões de reais) para encerrar uma investigação sobre crimes de lavagem de dinheiro, segundo informações do jornal britânico The Guardian. Esse é o maior pagamento já imposto por autoridades de Genebra, segundo o promotor-chefe local, Olivier Jornot.
Em uma declaração emitida pelo banco, o HSBC indicou que concordou em pagar a compensação por não ter conseguido evitar crimes financeiros no passado. Como consequência, foi arquivada uma ação criminal contra a instituição na Justiça de Genebra. No texto, o banco acrescenta que a investigação da promotoria identificou que nem o banco e nem os seus empregados são suspeitos de cometer crimes atualmente.
Em fevereiro deste ano, a Justiça suíça abriu uma investigação por lavagem de dinheiro contra o HSBC. Policiais fizeram uma operação de busca e apreensão na sede do banco e em diversos escritórios da instituição em Genebra para apurar as suspeitas.
O processo foi aberto depois que um consórcio de jornais revelou que o banco havia ajudado 100 mil clientes de todo o mundo a abrir contas na Suíça e fugir do controle de seus países, caso conhecido como Swissleaks. Entre as suspeitas, estão as práticas de sonegação de impostos e a não declaração de milhões de dólares em investimentos
Mais de 6 mil contas têm uma relação com clientes brasileiros, entre eles ex-funcionários da Petrobras. No Brasil, a Receita Federal e a Polícia Federal (PF) estão apurando as operações realizadas por cidadãos do país em contas secretas mantidas pelo HSBC na Suíça.
(Da redação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário