TudoSobreTudo

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Cacau é a ‘nova droga’ das festas eletrônicas

O cacau, consumido em forma de bebida, cápsula e até mesmo pó, tem sido usado em festas na Europa e nos Estados Unidos como um estimulante natural

O cacau é a nova droga recreativa da vez. De acordo com o site de notícias americano Ozy, a substância tem sido usada em festas eletrônicas onde o consumo de bebidas alcoólicas não é permitido, como a Lucid, realizada mensalmente em Berlim, na Alemanha. De acordo com seus usuários, a ingestão de cacau – na forma de pílula, bebida e até mesmo via nasal – excita o cérebro e provoca sensação de energia e disposição.
Na Lucid, o cacau amargo balinês é servido em bebidas misturadas com mel, xarope de agave e canela. Já a Morning Gloryville, uma empresa que organiza festas nos Estados Unidos e na Europa, abastece seus bares com bebidas à base de cacau e com a substância em cápsulas. A forma mais curiosa — ou estranha — de consumir o cacau é via nasal. O produto em pó pode ser encontrado na loja do belga Dominique Persoone. Ele inventou um dispositivo que ajuda a “inalar” o alimento, além de ter criado uma mistura inédita da substância com menta e gengibre.
Segundo os defensores, o cacau cru, além de ser uma substância lícita em todas as partes do mundo, é muito mais potente do que se imagina. Ele desencadearia uma onda de endorfina na corrente sanguínea, aumentando a sensação de euforia. Em seguida, o cacau reduziria a tensão corporal ao promover o relaxamento muscular. Além disso, a substância é cheia de flavonoides que,  de acordo com um estudo publicado recente no periódico científico American Journal of Clinical Nutrition, responsáveis por aumentar a circulação sanguínea e estimular o cérebro. Outra vantagem descrita pelos adeptos: ao contrário de outras drogas, o cacau não distorce a realidade. De acordo com Ruby May, organizadora da Lucid, ele apenas “amplifica” a experiência musical.
Por outro lado, segundo Catherine Kwik-Uribe, diretora de pesquisa e desenvolvimento da Mars Symbioscience, empresa de tecnologia dedicada ao desenvolvimento de produtos com base científica,  embora o cacau puro contenha certos compostos que melhoram o humor, como a anandamida e feniletilamina, a quantidade deles na substância seria tão baixa que não teria qualquer influência direta sobre o humor. Ou seja, os efeitos “entorpecentes” citados seriam apenas um placebo.

Governo corta 4,3 mil cargos comissionados para economizar R$ 230 mi por ano


Ministro do Planejamento, Dyogo de Oliveira, admitiu que cifra é baixa, mas ponderou que número de cargos comissionados também é pequeno sobre o total

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira
O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira(Ueslei Marcelino/Reuters)
O governo federal anunciou nesta sexta-feira o corte de 4.307 cargos e funções comissionados por meio de decreto, dentro de estratégia de sinalizar compromisso com o reequilíbrio das contas públicas. A medida deve gerar uma economia de 230 milhões de reais por ano.
Em coletiva de imprensa, o ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, reconheceu que a cifra "é um valor baixo", mas ponderou que o número de cargos comissionados também é pequeno em relação ao total. Segundo Oliveira, a administração pública federal conta com aproximadamente 500 mil servidores ativos hoje, sendo que o valor total da folha, que inclui o pagamento a inativos, gira em torno de 250 bilhões de reais por ano.
O anúncio do corte reforça a intenção anunciada pelo presidente interino Michel Temer, quando assumiu o comando do Executivo. Também é divulgado após o governo receber duras críticas por sinalizar a necessidade de ajuste fiscal e, ao mesmo tempo, minimizar o impacto da aprovação recente pela Câmara dos Deputados de reajuste salarial a diversas categorias do funcionalismo público em meio à profunda recessão econômica.
Entram na conta dos cortes 881 cargos que já haviam sido reduzidos desde dezembro passado. Pelo decreto que deverá ser publicado ainda nesta sexta-feira, os postos e funções adicionais deverão ser suprimidos em um prazo de 30 dias. O decreto trará a especificação do número de cortes por Ministério, sendo que as pastas terão liberdade para determinar a eliminação dos postos.
Também presente na coletiva, o secretário de Gestão, Gleisson Rubin, disse que em termos porcentuais serão mais atingidos os ministérios que passaram por fusão dentro da mudança ministerial promovida por Temer: Ciência e Tecnologia com Comunicações, Transporte com Aviação Civil e Portos e Justiça com as pastas ligadas à cidadania.
Em outra frente, o Planejamento também anunciou que o governo irá transformar por meio de Medida Provisória 10.462 cargos de livre provimento em cargos exclusivos para concursados. Neste caso, explicou Oliveira, não deverá haver economia pois haverá apenas uma conversão e os cargos continuarão existindo. Hoje, cerca de 80% desses postos já são ocupados por servidores.
A alteração também não irá chegar aos níveis 5 e 6 dos cargos comissionados, os mais importantes e de salários mais altos. De acordo com Oliveira, isso acontece porque estas funções têm indicação política. O governo projeta que, com as mudanças, a administração federal ficará com 10.404 cargos comissionados, ante 24.250 atualmente.
(Com Reuters e Estadão Conteúdo)