TudoSobreTudo

terça-feira, 26 de julho de 2016

Air Supply - I'm All Out Of Love ( Tradução) E Outras...



Air Supply - All Out Of Love (Tradução)



A vítima do golpe fugiu da festa de abertura da Olimpíada para safar-se da maior vaia de todos os tempos


Se acreditassem nas vigarices que recitam, Dilma e Lula não perderiam a chance de roubar a cena no Maracanã



Ao fugir da cerimônia de abertura da Olimpíada do Rio, Dilma Rousseff perdeu a mais imperdível das chances de mostrar a dezenas de governantes estrangeiros que foi mesmo vítima de um golpe tramado por cruéis inimigos do povo, dispostos a tudo para derrubar a presidente que só pensava nos pobres ─ e, por isso, não tinha tempo nem cabeça para pensar na assombrosa roubalheira que aumentou em alguns bilhões a fortuna dos corruptos de estimação.
Se acreditasse nessa lengalenga vigarista, bastaria dar as caras no Maracanã e pedir ao locutor oficial que revelasse à multidão quem acabara de chegar. E então começaria o espetáculo da redenção. Depois de saborear a estrepitosa e unânime salva de palmas, Dilma entraria sem pedir licença na tribuna de honra para anunciar o início dos Jogos Olímpicos e o encerramento do governo do traidor Michel Temer.
Por que preferiu ficar em casa? Pelos mesmos motivos que levaram o padrinho Lula a refugar o convite do comitê organizador da Olimpíada e continuar homiziado no bunker disfarçado de “instituto”. Caso se atrevesse a enfrentar esse infalível teste de popularidade, a dupla seria recebida com a vaia mais demoradae desmoralizante da história do Maracanã. Ou do mundo.

Vídeo: Michelle Obama rouba a cena em discurso na Convenção Democrata



Michelle Obama rouba a cena em discurso na Convenção Democrata


"Eu acordo todas as manhãs em uma casa que foi construída por escravos", declarou a primeira-dama

Democratas divididos sobre o futuro do partido concordaram em ao menos um aspecto na noite de segunda-feira, durante a convenção nacional, na Filadélfia: Michelle Obama foi a estrela da noite. Em um discurso forte e emocionado, a primeira-dama falou sobre o crescimento de suas filhas na Casa Branca e ofereceu apoio à candidata Hillary Clinton, levando a plateia às lágrimas.
“Eu acordo todas as manhãs em uma casa que foi construída por escravos e olho minhas filhas, duas lindas, inteligentes, jovens negras, brincando com os cachorros no jardim da Casa Branca”, falou Michelle, esposa do primeiro presidente negro do país. “Por causa de Hillary, minhas filhas, e todos os nossos filhos e filhas, podem ter certeza que uma mulher pode ser presidente dos Estados Unidos”, declarou.
Para confrontar o slogan do republicano Donald Trump, que fala em “tornar a América grande novamente”, Michelle disse que os Estados Unidos são “atualmente, o maior país da Terra” e colocou a multidão de pé. Alfinetando o magnata, a primeira-dama disse que só há uma pessoa que ela acredita ser “verdadeiramente qualificada para ser presidente dos Estados Unidos. É a nossa amiga, Hillary Clinton”.
Ao fechar o seu discurso, Michelle pediu que os membros do Partido Democrata “batam em todas em portas” para repetir o feito que elegeu Barack Obama há oito anos atrás e o reelegeu ao cargo. Após o evento, o presidente elogiou sua esposa no Twitter: “Discurso incrível por uma mulher incrível. Não poderia estar mais orgulhoso e o nosso país foi abençoado de tê-la como primeira-dama. Eu te amo, Michelle”, escreveu.
Vídeo: Assista ao discurso de Michelle Obama na Convenção Democrata

O maior sequestro do Brasil - Sogra brasileira de Ecclestone, o todo-poderoso da Fórmula 1

Sogra brasileira de Ecclestone, o todo-poderoso da Fórmula 1, está sequestrada desde sexta. Criminosos pediram resgate de R$ 120 mi divididos em 4 sacolas

Aparecida Schunck , sogra do empresário da Fórmula-1 Bernie Ecclestone, foi sequestrada na sexta-feira à noite, no bairro de Interlagos, em São Paulo. Ela é mãe da brasileira Fabiana Flosi, de 38 anos, que é casada com Ecclestone , de 85. O casal mora em Londres. Os dois se conheceram em 2009, quando Fabiana trabalhava na organização do Grande Prêmio do Brasil. Bacharel em direito, ela era casada com um médico e vivia em São Paulo. Em 2010, Ecclestone, então dono de uma fortuna avaliada em quase 8 bilhões de reais, protagonizou um dos mais ruidosos divórcios da Inglaterra. Ao final do processo, o chefe da Fórmula 1 concordou em pagar 1,7 bilhão de reais à ex-modelo croata Slavica Radic, com quem viveu por 25 anos. Pouco depois da separação, Fabiana deixou o Brasil e, em 2012, casou-se com Ecclestone em uma cerimônia em Gstaad, na Suíça.
Fontes consultadas por VEJA disseram que o valor do resgate pedido a Ecclestone é de 120 milhões de reais – o que faria desse o maior sequestro do Brasil. Os criminosos pediram para que os pagamentos fossem feitos em libras esterlinas, com o dinheiro dividido em quatro sacolas. Entre 2001 e 2002, essa modalidade de crime atingiu o auge no país. O ano de 2002 terminou com 321 casos apenas no Estado de São Paulo – um a cada 27 horas. A Delegacia Anti-Sequestro (DAS) chegou a monitorar, num único dia, 43 cativeiros – num deles estava o publicitário Washington Olivetto, que só foi libertado depois de 53 dias em poder de seus captores, que haviam pedido 18 milhões de dólares por ele.

Moro visitará o Congresso em dia de votação sobre impeachment


O juiz federal participará de audiência na Câmara dos Deputados no próximo dia 4 de agosto para discutir um pacote de medidas anticorrupção

Sergio Moro durante evento realizado pela revista "The Economist" no Hotel Grand Hyatt em São Paulo
Em um dia de esperada turbulência política, o juiz federal Sergio Moro visitará o Congresso Nacional no próximo 4 de agosto, mesma data em que o Senado deve impor mais uma derrota à presidente afastada Dilma Rousseff e aprovar, na comissão especial, o relatório que sustenta o impeachment da petista. Moro, no entanto, deve passar longe das discussões sobre o futuro de Dilma: ele vai à Câmara dos Deputados debater um conjunto de propostas para endurecer a legislação voltada ao combate à corrupção.
Relator do chamado pacote anticorrupção, o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS) se reuniu nesta segunda-feira com Moro para formalizar o convite para o juiz inaugurar os debates sobre a nova legislação. Ao site de VEJA, o parlamentar informou que o juiz responsável pelas investigações da Lava Jato confirmou a presença no dia 4. “Ele fará o primeiro depoimento da comissão e levará as suas contribuições sobre o tema. Nós precisamos construir o maior consenso possível para que esses instrumentos sejam eficientes”, disse Onyx.
A audiência com Moro está prevista para ter início às 9h30, enquanto a comissão do impeachment deve começar às 11h. Após sair do colegiado, o processo por crime de responsabilidade tem de ser votado em plenário para confirmar o impeachment da petista. 
No próximo dia 4, os senadores vão se debruçar sobre o parecer do relator Antônio Anastasia (PSDB-MG), que tende a responsabilizar Dilma por irregularidades fiscais durante sua gestão. Apesar de a petista ter tido sua campanha abastecida com dinheiro de caixa dois pago pelo lobista Zwi Skornicki, réu na Lava Jato, conforme afirmou o ex-marqueteiro João Santana em acordo de delação premiada, as implicações do petrolão não devem constar no parecer final.
A poucos metros dali, por outro lado, a comissão que terá a participação de Moro deve discutir, entre outros pontos, justamente medidas para coibir o caixa dois. O pacote em análise prevê a criminalização da prática e a responsabilização dos partidos políticos pela movimentação paralela à contabilidade exigida nas regras eleitorais. O esforço é para que as medidas sejam aprovadas ainda neste ano pela Câmara dos Deputados.