TudoSobreTudo

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Inquérito em Portugal visa "pessoas próximas a Lula"; escândalo envolve fusão entre Oi e PT

Segundo o jornal, pagamentos vindos de construtoras como a Andrade Gutierrez teriam aberto as portas para que o acordo entre as telecoms fosse autorizado pelo Brasil e pelas agências reguladoras


SÃO PAULO - A Polícia de Portugal está investigando pessoas próximas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, bem como ex-governantes e gestores brasileiros e portugueses, em um inquérito relacionado ao negócio fechado entre a operadora Oi (OIBR4) e a Portugal Telecom em 2010. As informações foram divulgadas pelo jornal português Público.
Segundo o jornal, pagamentos vindos de construtoras como a Andrade Gutierrez teriam aberto as portas para que o acordo entre as telecoms fosse autorizado pelo Brasil e pelas agências reguladoras. O dinheiro teria vindo de construtoras brasileiras, numa forma de quitar uma dívida que existia entre essas empresas e a Portugal Telecom, avaliado na época em 1,2 bilhão de euros. O Ministério Público português confirmou a existência de duas investigações ocorrendo em paralelo e disse que a cooperação com o MP brasileiro tem sido "constante". 
No caso da Andrade Gutierrez, citada no inquérito, seu presidente, Otávio Azevedo, é réu na Operação Lava Jato e é considerado um dos homens que permitiu o acordo entre a Oi e Portugal Telecom, numa negociação que começou em 2007. 
Segundo o Público, as investigações afetam "a abrangência dos contratos que se estabeleceram entre os círculos próximos ao ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva e os do ex-primeiro-ministro José Sócrates". 
Em janeiro, a polícia portuguesa realizou uma operação na sede da Portugal Telecom em Lisboa, com o objetivo de colher dados sobre o contato com a Oi. Segundo a revista portuguesa Sol, documentos com anotações "Portugal Telecom" foram encontradas na casa de Luís Oliveira Silva, sócio e irmão do ex-ministro José Dirceu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário