TudoSobreTudo

domingo, 26 de julho de 2015

Valores pagos à Camila Pitanga pela Caixa são mantidos em sigilo. Sérgio Moro investiga contratos da Caixa



Na novela, a personagem Regina, vivida pela atriz Camila Pitanga é uma mulher humilde, moradora de um morro da Zona Sul do Rio. Regina não suporta "playba" (playboy), tem horror à desonestidade e procura ser transparente em tudo o que faz.

Já a Camila Pitanga da vida real pode ser bem diferente de sua personagem da novela. Os valores recebidos pela atriz para protagonizar comerciais da Caixa Econômica Federal são mantidos em sigilo até hoje. Os valores pagos à musa dos juros baixos recebem o status de informação "estratégica".

A Polícia Federal (PF) afirmou que a 11ª fase da Operação Lava Jato investiga indícios de irregularidades em contratos publicitários da Caixa Econômica Federal (CEF).

Onde não há transparência, sobra desconfiança. Os gastos em publicidade feitos pela Caixa aumentaram em até 6.000% nos últimos anos em alguns casos. Fatos revelados nesta manhã pela Polícia Federal na 11ª fase da Operação Lava Jato levantam suspeitas de que a agência de publicidade Borghi Lowe tenha pago propina ex-deputado do PT, André Vargas, para obter vantagens em contratos da Caixa e outros órgãos públicos. Os repasses teriam sido feitos a duas empresas controladas por Vargas e seu irmão, a LSI e a Limiar.

Na deflagração desta nova fase da operação Lava Jato, batizada de "Origem", Ex-deputado do PT, André Vargas foi preso hoje pela PF em condomínio em um condomínio de alto padrão na zona sul de Londrina, no norte do Paraná.

A madrasta de Camila Pitanga sob suspeita. Semana passada, pedido de quebra do sigilo bancário e fiscal, além do bloqueio dos bens da deputada federal Benedita da Silva (PT-RJ), até que seja ressarcido o valor de R$ 32.094.569,03, referente ao dano causado ao patrimônio público pegou muita gente de surpresa.

Segundo a denúncia do MPRJ, as irregularidades foram detectadas na execução dos projetos sociais Mulheres da Paz, Protejo e Peus – Espaços Urbanos Seguros, realizados entre 2008 e 2011. Para esses projetos foram destinados R$ 32.094.569,03 para instrução e profissionalização de mulheres e jovens, além de melhorias urbanísticas em comunidades carentes.

No ano de 2003, Benedita da Silva (PT), havia recomendado a contratação de uma ONG Amebras (Associação de Mulheres Empresárias do Brasil no Estado do Rio de Janeiro), que tinha como padrinhos Antônio Pitanga (marido de Benedita) e sua filha, Camila Pitanga (enteada de Benedita). Foram feitos repasses milionários na época, todos indicados pelo Ministério da Assistência Social, comandado na época por Benedita da Silva (PT).

Camila Pitanga bem que poderia seguir o exemplo de sua personagem da novela e tornar públicas as informações sobre os valores que recebeu da Caixa Econômica para ser a "Musa do Juro Baixo", mais uma obra de ficção do governo Dilma.

http://sintesenews.blogspot.com.br/2015/04/valores-pagos-camila-pitanga-pela-caixa.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário