TudoSobreTudo

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

"Fomos puxar um fio e surgiu um monstro", afirma Sérgio Moro sobre a Lava Jato


Juiz responsável pelos processos na 1ª instância diz que futuro das investigações é 'imprevisível'
Lava Jato já recuperou quase R$ 1 bilhão de corrupçãoPaulo Whitaker/27.10.2015/Reuters
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela condução da Operação Lava Jato, na Justiça Federal, afirmou nesta terça-feira (27), durante um debate promovido pela revista de negócios britânica The Economist, que a investigação se tornou muito maior do que ele próprio esperava.
— Este caso [da Lava Jato] começou em uma menor dimensão. [...] Fomos puxar um fio e veio um novelo. De repente, quando fomos puxar esse novelo, surgiu um monstro.
A apresentação de Moro teve como tema corrupção, moral e ética. Ovacionado pelos presentes ao ser apresentado, o juiz federal explicou que os próximos passos das investigações do esquema de corrupção na Petrobras ainda são "imprevisíveis".
— É difícil prever o que vai acontecer no futuro. Ninguém sabe.
Moro ainda afirmou estar cansado e disse que gostaria que a Lava Jato estivesse se aproximando de um final, mas avalia que a questão não depende só dele.
— [A Operação] depende muito das provas que vão surgir. Muitas vezes, a investigação nos leva a becos sem saída.
Ao ser questionado pelo público presente no evento se presente sair candidato em uma futura eleição no País, Moro afirmou que se candidatar "não está em seu horizonte".
— Seria algo muito complicado, porque meu trabalho de juiz seria questionado.
Além dos processos que correm na Justiça Federal em Curitiba, conduzidos por Moro, a Lava Jato tem ações em São Paulo. Os processos envolvendo políticos, que têm foro privilegiado, tramitam no STF (Supremo Tribunal Federal), em Brasília. A força-tarefa da Lava Jato envolve também a PGR (Procuradoria-Geral da República) e a Polícia Federal.
Há um mês, juízes federais afirmaram que a Lava Jato já recuperou quase R$ 1 bilhão desviados dos cofres públicos. Desde que começou, a operação colocou na cadeia empresários importantes, incluindo Marcelo Bahia Odebrecht, presidente da maior construtora do País. Também foram presos doleiros, políticos e lobistas.
Poder público
Durante o evento. Moro afirmou ainda que não é possível depender apenas do poder público. Ele afirma que a investigação da Lava Jato deveria servir como um "propulsor" para mudanças mais profundas no setor.
— Os indivíduos são importantes em qualquer instituição, mas não podemos ter uma crença em um governo de homens. Então, nós temos que pensar em mexer nas nossas instituições para que esses problemas não se repitam.
O juiz também destacou a importância da opinião pública para chamar atenção ao esquema de corrupção.
— Os juízes são sensíveis a essas questões. Nós lidamos com fatos, provas e a lei, nas a opinião pública deve ser considerada para inserir os casos na sociedade.
*Colaborou Victor Labaki, estagiário do R7.

Nenhum comentário:

Postar um comentário