TudoSobreTudo

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Como ser uma pessoa feliz, segundo Tal Ben-Shahar (o especialista de Harvard)


Uma das primeiras obras que li sobre «felicidade» foi o "Aprenda a Ser Feliz" de Tal Ben-Shahar, o responsável pelo curso de Psicologia Positiva de Harvard (aliás, um dos cursos mais concorridos de sempre daquela Universidade). Tal como outros especialistas na área, Tal Ben-Shahar considera que podemos agir para sermos pessoas mais felizes - e aqui fala de felicidade duradoura, não de uma felicidade efémera. Em suma, a felicidade está realmente ao nosso alcance! 

Os seus ensinamentos melhoraram a minha vida, e quero implementá-los cada vez mais. Eis o que eles sugere para nos tornarmos pessoas felizes:

1 - Aceita que é impossível viver sem emoções negativas - Aceitar a vida como ela é, liberta-nos do medo do fracasso (que é absolutamente normal e até nos conduz a novas aprendizagens) e das expectativas perfeccionistas (não há vidas perfeitas, portanto é um erro desejar a perfeição). É igualmente importante reconhecer e aceitar os sentimentos negativos para os conseguirmos ultrapassar (esta é até uma das bases da inteligência emocional, segundo Daniel Goleman). Por último, as emoções negativas são importantes, para conseguirmos reconhecer/valorizar as emoções positivas.
2 - A felicidade surge da combinação entre "prazer" e "significado" - Sempre que possível, devemos realizar actividades que nos dêem prazer, mas que também tenham «significado», ou seja, que estejam de acordo com os nossos valores, as nossas paixões, o nosso propósito de vida. A felicidade surge desta combinação, porque o prazer por si só (sem significado), ou o significado por si só não (sem prazer), não são suficientes para atingir a felicidade.

3 - Utiliza «happiness boosters» - Obviamente, que não conseguimos realizar actividades que reúnam «prazer» e «significado» todo o tempo, principalmente quando o emprego não está de acordo com o nosso propósito de vida. É por isso importante utilizarmos «happiness boosters» ao longo da semana. Dedica assim algum tempo do teu dia, a realizar actividades que reúnam «prazer» e «significado» (por ex. ler sobre temas relacionados com o teu propósito de vida). Estudos comprovaram que 1h ou 2h deste tipo de actividades pode afectar positivamente a qualidade de um dia inteiro ou até de uma semana.
4 - Pratica actividades para a felicidade na "quantidade certa" - Mesmo que uma actividade nos proporcione «significado» e «prazer», se a realizássemos incessantemente, deixaria de nos fazer feliz. Tal Ben-Shahar, dá o exemplo da lasanha: podemos gostar muito de lasanha, mas isso não significa que seria bom comer lasanha a toda a hora, todos os dias. Eu acrescentaria, o que aprendi entretanto: o segredo de uma felicidade duradoura está na variedade, ou seja, mesmo dentro das actividades que nos fazem felizes, devemos variar as que escolhemos fazer (por ex. hoje escolho saborear as pequenas coisas, mas amanhã, ou mais logo decido praticar exercício físico - explico isto com mais detalhe,neste post).
5 - Estabelece metas para a tua vida - Para sermos felizes é importante identificarmos e perseguirmos as chamadas «metas autoconcordantes», ou seja, que nos proporcionem um jornada agradável para as alcançar, mas que também sejam significativas. São aqueles objectivos que melhoram a nossa vida, que nos fazem crescer enquanto seres humanos, e que contribuem para alguma coisa. São importantes a nível pessoal e jamais impostas pelos outros. O que será crucial para aumentar a felicidade é justamente o "processo" de nos empenharmos nas metas e não alcançá-las por si só.

Eu própria já aqui falei de metas pessoais, por ex.: livrar-me da tralha para ter um ambiente mais agradável e tempo para o mais importante, ou acabar de pagar o empréstimo bancário para me livrar das dívidas e ter mais dinheiro disponível ou ainda tentar incluir actividades para a felicidade no meu dia-a-dia. Divirto-me na jornada para alcançar as metas e, no fundo as metas não são um fim, são antes um meio para um objectivo maior: ser feliz!

6 - Não olhes para as coisas boas como garantidas - Aprende a valorizar e a ser grato/a pelo que tens de bom na tua vida. Como refere Tal Ben-Shahar "Essa mania que temos de achar que as coisas são garantidas e sempre estarão aqui têm pouco de realista". Assim, não tomes nada por garantido, aprende a dar valor às pequenas e maravilhosas coisas da tua vida, às pessoas que amas, à comida que chega até ti, à natureza que te rodeia, etc.
7 - Tem em mente que a felicidade não depende directamente do dinheiro ou do estatuto, mas do teu estado de espírito - O nosso nível de felicidade depende mais da interpretação que fazemos dos acontecimentos do que de ter mais dinheiro ou sucesso. O dinheiro só poderá contribuir para a tua felicidade, se o vires como um «meio» para a alcançar, ou seja, não é propriamente ter mais dinheiro que te fará mais feliz, mas sim o facto deste permitir libertares o teu tempo para fazeres coisas pessoalmente significativas.
8 - Simplifica a tua vida - Foi este o primeiro autor que me chamou a atenção para a importância de simplificar a minha vida, nomeadamente destralhando. Hoje em dia tendemos a ocupar o nosso tempo com um número exagerado de actividades/tarefas. Fazemos mais em em cada vez menos horas e isto põe em causa a nossa felicidade. Assim, deves fazer uma melhor gestão do teu tempo, aprender a dizer «não» e livrares-te do que é supérfluo. Desiste de actividades de menor importância, reduz ao máximo as tuas obrigações, passando a ocupar esse tempo com actividades que te deem mais prazer e significado.
9 - Cria rituais para seres mais feliz - A ideia de criarmos rituais para o que nos pode fazer mais felizes, é que estes comportamentos se tornem hábitos e com isso modelarmos o nosso cérebro para sermos mais felizes. Primeiro deves identificar os rituais que eventualmente te podem fazer mais feliz (ex.: praticar exercício 3 vezes por semana ou meditar 15 minutos todas as manhãs, realizar 1 pequena tarefa diária para alcançar determinada meta, etc.). Para já, deves escolher no máximo 2 rituais (só deves introduzir outros quando estes se tiverem tornado num hábito), anotá-los na agenda e passar à acção. A verdade é que adoptar novos comportamentos é difícil, pois após a fase de “lua-de-mel”, nem sempre temos autodisciplina para os manter. Daí a importância de introduzir rituais, até que estes se tornem um hábito (pois aqui já não necessitamos de autodisciplina, realizamo-los sem pensar).

10 - Pratica exercício físico - O exercício físico é das actividades mais eficazes para incentivar a felicidade (confesso que isto a mim, surpreende-me). Isto porque quando praticamos desporto, o nosso cérebro segrega endorfinas, que geram prazer e reduzem a dor, fazendo-nos sentir mais felizes. Contudo, tem em atenção à escolha do tipo de exercício, pois é importante que faças algo adequado ao teu estilo de vida e ao teu gosto pessoal. Também não é necessário praticares actividades exageradas, basta um desporto leve para fazer a diferença.
11 - Pratica meditação - Com a introdução do hábito de meditar, conseguirás combater o stress e orientar o teu pensamento para o lado positivo. Por outro lado, à medida que aumenta a tua paz interior, terás mais capacidade para enfrentar as crises da vida.
12 - Treina a resiliência - Novamente, é importante reconhecer os sentimentos (mesmo que negativos) para poderes geri-los. Aceita os fracassos como uma «oportunidade» de aprendizagem, como uma lição para na próxima fazeres diferente. Reconhece que tudo passa, inclusive os momentos de crise. É isto que é ser resiliente, ou seja, trata-se da capacidade de enfrentar circunstâncias adversas, condições de vida difíceis e/ou situações potencialmente traumáticas, recuperar-se e voltar ao nosso estado inicial. Trata-se ainda de sair destas situações fortalecido/a, com mais conhecimentos. Da próxima vez que encarares uma situação difícil, tenta ser resiliente.
««»»

Este autor marcou sem dúvida a minha vida. Fez-me perceber que a felicidade pode ser aprendida, da mesma forma como aprendemos um desporto ou tiramos um curso. Requer conhecimentos e, sobretudo prática. Com o tempo vamos introduzindo os hábitos que nos fazem mais felizes e, isso sim, fará com que a nossa felicidade aumente.

E tu, estás disposto/a a lutar pela tua felicidade? Dá trabalho, mas vale tanto a pena!...

Nenhum comentário:

Postar um comentário