TudoSobreTudo

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Endividamento das famílias é o maior em dez anos, diz BC


Segundo Banco Central, o volume de dívidas das famílias passou de 46,2% para 46,3%, o maior porcentual da série histórica

Dinheiro - Nota Real
Endividamento das famílias por compra de imóveis puxou a alta do indicador (Istockphoto/Divulgação)
As famílias brasileiras nunca estiveram tão endividadas com o sistema financeiro nos últimos 10 anos como agora, aponta levantamento feito pelo Banco Central divulgado nesta segunda-feira. De março a abril, o volume de dívidas passou de 46,2% para 46,3%, o maior porcentual desde janeiro de 2005, quando a instituição começou a fazer o cálculo. Até então, a taxa mais elevada havia sido registrada em fevereiro, de 46,24%. O estudo leva em conta o total das dívidas dividido pela renda no período de 12 meses.
Os dados do BC revelam que o segmento responsável pela elevação foi o de imóveis. Isso porque o total de endividamento das famílias, excluindo-se as dívidas com o setor habitacional, apresentou leve baixa de março (27,73%) para abril (27,61%). Esta é a terceira desaceleração consecutiva do indicador e revela que é o patamar mais baixo desde janeiro de 2009, quando estava em 27,37%. Na época, as economias do Brasil e do mundo sentiam os efeitos da crise financeira internacional iniciada em meados de 2008.
Ainda segundo o BC, o comprometimento de renda das famílias com o Sistema Financeiro Nacional (SFN) ficou em 21,98% em abril - praticamente estável em relação à taxa de 21,97% verificada no mês anterior e de 21,98% de fevereiro. O dado é ajustado sazonalmente.
O BC destaca que, desde março, tanto essa série quanto a de comprometimento de renda foram recalculadas para incorporar as alterações na série da Massa Salarial Ampliada Disponível (MSAD), do IBGE. As séries também passaram a considerar as mudanças promovidas pela própria autarquia na nota de crédito.
(Com Estadão Conteúdo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário