TudoSobreTudo

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Itamaraty já fez contato com 60 brasileiros no Nepal


Ministério das Relações Exteriores trabalha com a estimativa de que 79 brasileiros podem estar no país devastado por um terremoto

 
Do Nepal, a brasileira Mariana Malaguti Uchôa enviou e-mail aos pais, em que diz ter escapado dos estragos do terremoto
Brasileira Mariana Malaguti Uchôa (Reprodução/Facebook)
A Embaixada do Brasil em Katmandu localizou, até as 15h deste domingo, 60 brasileiros que estavam no Nepal durante o terremoto que já deixou mais de 2.500 mortos. Todos passam bem e escaparam ilesos do desastre. Para identificar possíveis vítimas, funcionários do Ministério das Relações Exteriores fizeram, desde sábado, contatos com hotéis, agências de turismo e hospitais. O Itamaraty trabalha com a hipótese de que 79 brasileiros estejam no país.
O apoio da embaixada só foi requisitado até agora para a expedição de passaportes de brasileiros que perderam documentos. O serviço diplomático em Katmandu passou a funcionar em regime de plantão no fim de semana.
Em nota, o Palácio do Itamaraty expressou condolências aos familiares das vítimas do terremoto. "O Governo brasileiro tomou conhecimento, com grande pesar, do terremoto que atingiu o Nepal na manhã de hoje, que causou a perda de centenas de vidas e significativa destruição material. A Embaixada do Brasil em Katmandu está mobilizada para prestar o apoio necessário aos cidadãos brasileiros que se encontram no país. Os brasileiros já localizados pela Embaixada não sofreram ferimentos e estão recebendo toda a assistência cabível. Não há, até o momento, informação sobre a presença de brasileiros entre as vítimas fatais.A Embaixada continuará a monitorar a situação e a acompanhar a evolução dos acontecimentos naquele país.O Governo brasileiro expressa suas condolências e sua solidariedade aos familiares das vítimas, ao povo e ao Governo do Nepal", diz o comunicado.
Brasileira localizada - Após quase 16 de horas de aflição à espera de notícias de Mariana Malaguti Uchôa, 26 anos, os pais da designer que está no Nepal em uma viagem sabática tiveram informações sobre a filha. O pai, Paulo Uchôa, contou que recebeu um telefonema por volta das 2h da madrugada deste domingo de um cunhado, avisando que Mariana tinha acabado de postar uma mensagem no Facebook. Na sequência, ela enviou um breve e-mail para os pais: "Estou em um lugar seguro, fiquem tranquilos. Menos medo".
O recado encerrou um período de agonia de Paulo e sua mulher, Cristina Malaguti Uchôa. "Ficamos o dia inteiro sem informação, foi horrível", disse o pai. A descoberta sobre o terremoto no Nepal, que deixou mais de 2.000 mortos, ocorreu na manhã de sábado, quando Cristina acessou um portal de notícias.
Mariana está em um vilarejo a cerca de 10 km da capital, onde dá aulas de capoeira para crianças e pratica yoga. Em um relato no Facebook, ela disse que no local onde está não houve "muitos danos físicos", uma vez que a cidade tem pequenas construções.
"Pude sentir muito forte o tremor aqui, e mais uma vez pude acreditar e vivenciar a potência da natureza. Parece que o tremor pode voltar hoje, mas estou em área de segurança, não tem grandes prédios nem construções", afirmou aos amigos, a quem pediu calma e acrescentou: "Aqui a terra treme e aí os corações palpitam!".
A viagem da designer, programada por um ano, teve início em dezembro de 2014, quando a jovem foi para a Índia, onde percorreu diversas cidades, e depois seguiu para o Nepal. Ela já tinha ido embora do País, mas decidiu voltar. Há cerca de 15 dias está no Nepal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário