TudoSobreTudo

sábado, 24 de setembro de 2016

15 dicas de flores, arbustos e folhagens para uma casa perfumada


Perfume de gardênia, fragrância de dama-da-noite sob a luz da lua ou cheiro de lavanda no ar. As opções para quem deseja ter um jardim perfumado são muitas, e as possibilidades variam de acordo com fatores como o espaço disponível, a quantidade de sol que bate no local escolhido e a fertilidade do solo.
Para ajudar a transformar o sonho dos perfumes de um belo jardim em realidade, separamos algumas dicas de arbustos, folhagens e flores que podem fazer bonito no quintal da sua casa, na entrada do prédio ou na varanda do seu apartamento. Dê preferência às espécies nativas da flora brasileira ou àquelas que têm mais longevidade e garantem um canto sempre verde.
Astromélia
De origem brasileira e sulamericana, é a segunda flor mais vendida do Brasil — atrás apenas da rosa — e se destaca por ter várias colorações. A Astromélia lembra um lírio e, cultivada sob o sol, tem potencial imponente: a planta chega a ficar com 1,20 metro de altura (opção para quem quer um jardim mais recheado, com flores e folhagens de diferentes alturas e volumes).
Lavanda
Planta de menor porte, a lavanda pode compor um canteiro maior ou ser protagonista para quem não tem tanto espaço. Precisa de aproximadamente três horas de sol diárias, e é nesses momentos em que o cheiro de suas espigas de flores azuis e roxas se destacam. Costuma florescer na primavera.

Dama-da-noite
Conhecida por exalar seu cheiro somente ao anoitecer, a Dama pode ser colocada à meia-sombra e tem um perfume bem marcante, porém, por ser uma planta tóxica, não recomendamos o plantio em casas com crianças e animais. Costuma florir entre primavera e verão, e tem porte entre médio e grande.
Camarão Rosa
Pequenina e colorida, combina flores arrocheadas com brácteas vermelhas (um tipo de estrutura semelhante à flor). Também nativa do Brasil, é uma boa opção para as varandas de apartamentos, pois não precisa de muito sol para florescer.
Samambaia
Como são resistentes, gostam de meia-sombra e demandam menos cuidados que as plantas delicadas, são uma opção popular para quem tem pouco espaço ou quer começar e não sabe por onde. Deixe a terra sempre úmida, mas evite água em excesso ou acumulada no pratinho.
Hera-estrela
Também conhecida como trepadeira, é uma folhagem de fácil manutenção. Como não gosta de solo encharcado, umas três regas distribuídas pela semana costumam bastar.
Begônia sempre-florida
O nome já indica: como dá flores em todos os períodos do ano, a begônia é uma boa opção para quem gosta de cores no ambiente. Ela é brasileira e gosta de sol, mas também se dá bem na meia-sombra.


Catléia-de-harrison
Originária da Serra do Japi, em São Paulo, é um tipo de orquídea — e, como tal, adora um xaxim. Pequena e delicada, costuma ter entre 30 e 40 cm e não faz questão de ter contato direto ao sol.
Espada-de-são-jorge
É ótima opção para quem tem a vida corrida. Resistente a várias condições de luz, não precisa de muita água e possui grande variedade de folhas para compor um jardim (com variação entre a planta grande ou a de tamanho mini, por exemplo)
Brinco-de-princesa
Com origem na América do Sul e considerada símbolo no Rio Grande do Sul, tem flores pendentes que variam entre o roxo e o vermelho.  Tem um aroma adocicado, que atrai os beija-flores!
Flor-de-outubro
Cacto nativo do Sul do Brasil e parente da flor-de-maio, é uma suculenta pequenina que pede pouca água (uma vez por semana é o suficiente). As flores são lindas: grandes e rosadas.
Afelandra
Apelidada de zebra por conta da folhagem verde e branca, é volumosa e pode chegar a mais de um metro de altura. Também é de origem brasileira e, quando floresce, é um show a parte.
Alpínia
Muito usada quando se deseja dar ares tropicais a um jardim, se destaca pelo contraste entre folhas verde-escuras e brácteas de um vermelho bem vivo. Pede muita luz e água, e não é indicada para climas frios.
Gardênia
Se você gostaria de ter arbustos maciços para dar volume ao seu jardim ou pensa em fazer uma cerca viva, as gardênias são excelente opção. Cherosíssimas, com folhas brilhantes e flores brancas, pode chegar a 2m de altura.
Sempre-viva

A cara do cerrado brasileiro, as sempre-vivas têm flores minúsculas e caules grandes — você já deve tê-la encontrado em arranjos ou em feiras de artesanato. Aproveite e ajude o meio-ambiente: algumas das espécies dela estão ameaçadas de extinção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário