TudoSobreTudo

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Relator de ação eleitoral contra Dilma pede acesso à delação de dono da UTC


Ministro João Otávio de Noronha também quer que o ministro Teori Zavascki autorize Ricardo Pessoa a prestar depoimento na Justiça Eleitoral antes do fim do sigilo


Ricardo Pessoa revela detalhes do esquema de corrupção da Petrobras e entrega a lista dos beneficiados com o dinheiro desviado: as campanhas eleitorais de Dilma e Lula, deputados, senadores e ministros do governo
Relator do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pede que Supremo Tribunal Federal (STF) divulgue delação premiada do dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa(Adriano Machado/Ag. BG Press/VEJA)
O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro João Otávio de Noronha, pedirá que o Supremo Tribunal Federal compartilhe o conteúdo dos depoimentos prestados pelo dono da UTC, Ricardo Pessoa, em acordo de delação premiada à força-tarefa da Lava Jato.. A intenção é usar o depoimento do empreiteiro na ação de investigação eleitoral proposta pelo PSDB contra a campanha de 2014 da presidente Dilma Rousseff. Conforme revelou VEJA, Pessoa disse que 7,5 milhões de reais foram repassados à campanha da petista, depois de desviados de contratos com a Petrobras, após pedido do então tesoureiro de Dilma, o atual ministro da Secretaria de Comunicação Edinho Silva.
Até o momento, a delação premiada de Pessoa - homologada pelo relator da Lava Jato no Supremo, ministro Teori Zavascki - permanece em segredo de Justiça. Zavascki tem negado solicitações feitas por investigados na operação para ter acesso aos termos da colaboração.
"Tudo Justiça" - O entendimento do ministro do STF é o de que a delação só pode ser tornada pública após denúncia do Ministério Público Federal. No entanto, para Noronha, a ação penal não é mais importante do que a eleitoral. "Não pode ter sigilo para a própria Justiça. Isso está equivocado", afirmou o relator.
Além de solicitar a delação, Noronha quer que Zavascki autorize o empreiteiro a prestar depoimento à Justiça Eleitoral antes do fim do sigilo sobre a delação.
No dia 14 de julho, Pessoa compareceu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo. Ele foi convocado a prestar depoimento sobre o caso. O PSDB pede que o dono da UTC relate se houve doação eleitoral para a campanha da presidente com dinheiro oriundo do esquema de corrupção na Petrobrás. O empreiteiro, porém, permaneceu em silêncio, protegido pelos termos do acordo de delação premiada.
(Com Estadão Conteúdo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário