TudoSobreTudo

sábado, 13 de junho de 2015

Pronunciamento de Gilma Rou7: Cortem e compartilhem!

size_590_dilma-rousseff-escurecidaOi, internautas.
Eu sou a Gilma. Ocês tão lembrado de mim?
Devem de estar. Afinal, eu só apareço na internet, né? Aqui, as panelas não fazem barulho. Quero dizer: a menos que ocês aperte o play.
O meu atraso de hoje é culpa do meu marqueteiro, que foi colocar o sono em dia porque em noite estava muito difícil.
Mas eu vim me pronunciar por quê? Porque eu preciso anunciar a ocês um grande corte.
Nos impostos d’ocês? Não.
No sigilo do BNDES? Não.
No trimestre de quatro meses da Petrobras? Também não.
Ocês parem de querer adivinhar as coisas, tá bão?
O corte é de 69,9 bilhões de reais no Orçamento. Isso quer dizer o quê?
Quer dizer que o meu governo bebeu, bebeu, bebeu e, para não cair, mandou a conta pr’ocês.
Ocês veja:
Para calcular essa conta, o ministério da Fazenda estimou que o Brasil terá uma retração de 1,2% do PIB e que a inflação oficial será de 8,26%, quase o dobro do centro da meta, de 4,5%.
Não quero me gambá não, mas a inflação acumulada em 12 meses é a maior dos últimos 11 anos, como anunciou o IBGE.
Isso quer dizer o quê? Que está tudo sob controle.
Do diabo, claro. Aquele da hora da eleição.
Para me eleger, o Lula sempre disse, por exemplo, que eu sou a mãe do PAC.
Como boa mãe, o que foi que eu fiz? Cortei 25,7 bilhões de reais do PAC.
A fase 3 do Minha Casa Minha Vida está atrasada por quê? Porque casa é como festa, gente: o melhor é esperar por ela.
Ocês sabem também que, para lema de governo, nós escolhemos Brasil, Pátria Educadora.
Como boa educadora, o que foi que eu fiz? Cortei 9 bilhões de reais da Educação.
Uma mãe educadora tem de saber cortar os direitos que prometeu aos seus filhos. Pergunte aos trabalhadores se eu não corto!
Falando nisso, nós precisamos de ser sinceros: brasileiro não gosta de trabalhar.
Então eu fiz o quê? Causei uma redução de 97.828 postos de trabalho em abril deste ano, como anunciou o Caged.
Não quero me gambá não, mas é o pior resultado desde 1992, quando se iniciou a série histórica do Ministério do Trabalho e Emprego. Em 1992, o governo era de Fernando Collor de Mello. #ChupaCollor.
Quero acrescentar também que, entre os jovens, o aumento do desemprego foi ainda maior: passou de 12% em 2014 para 16,2% no mês passado. Quem gosta menos de trabalhar do que os jovens? Ninguém, pô.
Jovem gosta é de futebol.
Pensando nisso, eu doei 100.000 réais para a campanha do deputado federal do PT de São Paulo Andrés Sanchez, ex-presidente do time do Lula, o Corinthians.
Agora que as contas da campanha dele foram rejeitadas pelo TRE-SP, ele resolveu revelar o nosso segredinho.
Eu não revelei antes por quê? Ora, porque eu não sou de me gambá.
Por isso é que, depois da eleição, o tesoureiro do partido, Antônio dos Santos, “retificou o doador originário de Dilma Rousseff para a empresa UTC Engenharia” - aquela do Ricardo Pessoa, o líder do cartel das empreiteiras preso pela Operação Lava Jato.
Lavar é com o PT, tá pensando o quê?
Eu me doei muito para o petismo. E o PT ama tanto os pobres que sempre tentou deixar os brasileiros mais pobres.
Eu consegui.
Segundo o FMI, a renda per capita em 2015 no Brasil será de 9.312 dólares. Há 5 anos, quando eu assumi o governo, era de 11.300 dólares.
Sei que muitos d’ocês ganham bem menos que isso, mas é que o pessoal do PT precisa de ganhar mais, então dividindo tudo é o que dá. Quero dizer: dividindo, só no cálculo, tá bão?
Ocês veja o caso dos “consultores” investigados pela Lava Jato.
Durante os nossos governos, eles multiplicaram sua riqueza em até 97 vezes, segundo um levantamento da Receita Federal.
Milton Pascowitch, um pouco mais modesto, ficou em apenas 50 vezes: saiu de 570 mil reais, em 2003, para 28,2 milhões de reais, em 2013.
Coitada da deputada Manuela D’Ávila, do PCdoB, que saiu de 14 mil reais em 2010 para 184 mil reais agora, aumentando seu patrimônio em “apenas” 1.200%. Nem tem como competir com os operadores petistas. Eles movimentaram 311,2 milhões de reais para garantir, claro, os cortes que eu vim anunciar aqui hoje pr’ocês.
No meu governo, ocês têm corte no bolso, no ombro, no abdômen, no dedo…
É por isso que tenho muito orgulho de cada um d’ocês, brasileiros e brasileiras, que dão a poupança e o sangue pelo nosso país.
Não se esqueçam: eu sou a Gilma Rou7 e o Lula sou eu amanhã.
Cortem e compartilhem, ok?
Até a próxima, internautas.
Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário