TudoSobreTudo

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Noz-moscada melhora a circulação sanguínea

Ela também é aliada do aparelho gastrointestinal e do sistema nervoso central

A noz-moscada consiste na semente da árvore Myristica fragrans que, apesar de cultivada mundialmente em locais de clima tropical e úmido, é nativa da região da Indonésia. A noz- moscada possui na maior parte de sua composição gorduras e óleos essenciais, a exemplo da miristicina, safrol, eugenol, elemicina, além de amido, celulose e minerais. A noz-moscada apresenta amplo uso pela indústria alimentícia, por se tratar de um condimento de características particulares que acentuam o aroma, sabor e cor das preparações e, na saúde, uma vez que possui elevada concentração de elementos químicos com grande capacidade antioxidante, além de outras aplicações.  

Benefícios da noz-moscada

Em decorrência de seus óleos essenciais, minerais e de compostos bioativos, estudos evidenciam os potenciais efeitos positivos da noz-moscada sobre:  
O sistema nervoso central, propiciando leve efeito sedativo e ansiolítico, principalmente em função dos compostos miristicina e elemicina que possuem atividades relacionadas com os neurotransmissores serotonina e dopamina.  
Melhora da circulação sanguínea, uma vez que o eugenol apresenta propriedades que relaxam a musculatura, promovendo a vasodilatação e aumento do fluxo sanguíneo aos tecidos, levando assim mais nutrientes e oxigênio às células. 
O aparelho gastrointestinal, visto que a noz-moscada demonstrou efeitos positivos no controle dos sintomas de doenças que acometem segmentos do intestino, a exemplo da doença de Crohn em que o extrato de noz-moscada evidenciou reduzir o processo inflamatório e os episódios de diarreia. 
Apesar de ainda preliminar, a noz-moscada mostrou atuar como um antioxidante, reduzindo significativamente a formação de novos vasos sanguíneos e inibiu o crescimento de células cancerígenas, denotando um possível benefício de compostos presentes na noz-moscada como um adjuvante no tratamento do câncer.  
A especiaria também é fonte de minerais como o manganês e cobre, utilizados pelo organismo como co-fatores para atividade de enzimas antioxidantes. O potássio, elemento importante presente nos fluidos corporais que contribui para o controle da pressão arterial e batimentos cardíacos e o ferro, essencial para a produção de glóbulos vermelhos, também estão presentes na noz-moscada.  
Demais benefícios relacionados à noz-moscada recaem em suas propriedades antibacterianas, apresentando efeito modulatório na proliferação e produção de toxinas de determinadas bactérias, sendo assim usado pela indústria na produção de sabonetes, pastas dentais e cosméticos.  

Cuidados ao consumir a noz-moscada

Um cuidado com a noz-moscada é que o consumo, em grandes quantidades, pode ocasionar efeitos adversos à saúde. Relatos de casos por intoxicação acidental com a noz-moscada já foram descritos na literatura anteriormente e atribui-se como responsável por parte destes sintomas o composto denominado miristicina (que ocorre também em outros vegetais em quantidades variáveis) e o safrol, ambas pertencentes a uma família de substâncias com ação psicoativa. 
Sabe-se, no entanto, que é necessário uma quantidade muito além das habitualmente utilizadas em preparações culinárias para a manifestação de sintomas que podem incluir desde náusea, tontura, palpitações e sudorese, podendo causar alucinações e, em casos graves, até o coma. 
Em situações especiais como a gestação e o aleitamento, atualmente não existe evidência suficiente acerca da segurança do consumo de noz-moscada. Possivelmente, em quantidades superiores às usualmente encontradas em preparações, não é considerado seguro em gestantes e lactantes, uma vez que os efeitos colaterais decorrentes do consumo excessivo poderiam também acometer, respectivamente, ao feto e ao bebê, além de apresentar potencial efeito abortivo.  

Quantidade recomendada de noz-moscada

O consumo habitual, em preparações culinárias envolvendo a noz-moscada, dificilmente atinge o limite máximo recomendado - ainda não completamente estabelecido - contudo aconselha-se o consumo limite de até 2 colheres de chá para um indivíduo adulto - a depender de peso, idade e susceptibilidade individual. Uma noz-moscada inteira equivaleria a aproximadamente 3 colheres de chá da versão moída. Em geral, de forma a ressaltar as características de sabor, aroma e cor de uma preparação, utiliza-se 1 colher de café de noz-moscada para 4 pessoas.  

Como consumir a noz-moscada

A noz moscada apresenta versatilidade de aplicações, combinando tanto com preparações doces, como bolos, biscoitos, tortas e cremes de sabor baunilha, e salgadas, como caldos e sopas, molhos, pratos com curry, e até cocktails clássicos, como o norte-americano eggnog. 
Uma outra sugestão é utilizar a noz-moscada polvilhada em bebidas, como cafés, de forma a enriquecer o seu sabor. Fundamentalmente, a noz-moscada pode ser encontrada em duas formas: em pó, pronta para uso, ou a noz-moscada inteira. Aconselha-se para a apresentação em pó, a utilização em um período curto de tempo, para que assim não perca as propriedades de sabor e aroma, oriundas dos óleos essenciais voláteis que podem ser perdidos com o contato com o oxigênio. Se a opção for utilizar a noz-moscada inteira, recomenda-se ralar a noz no momento da finalização dos pratos, para que proporcione o melhor de suas características. 
Para o armazenamento, é importante conservar a noz-moscada (seja em pó ou inteira) num recipiente hermético, mantido longe da umidade, calor e luz solar direta. Assim como outras especiarias, não se recomenda o congelamento com o objetivo de preservar o sabor e aroma particulares. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário