TudoSobreTudo

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

'Aula de crime': MPF denuncia 36 na Operação Lava Jato

Lava Jato

Procurador-geral da República, Rodrigo Janot classificou o teor da denúncia como 'aula de crime'. Ações penais cobram devolução de R$ 1,1 bilhão

Daniel Haidar, de Curitiba
Coletiva de imprensa da Polícia Federal com informações sobre a Operação Lava Jato em Curitiba - 14/11/2014
(Atualizada às 20h)
O Ministério Público Federal apresentou nesta quinta-feira denúncia contra 36 investigados na Operação Lava Jato da Polícia Federal. Dessa lista, 23 são executivos ligados a seis grandes empreiteiras do país – Camargo Corrêa, Galvão Engenharia, Engevix, OAS, UTC e Mendes Junior –, que integravam o chamado "Clube do Bilhão", o cartel formado para partilhar contratos públicos. Inicialmente, o Ministério Público havia divulgado apenas 35 denunciados, mas o número foi retificado para 36.
Também foram acusados o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef, pivô do maior esquema de desvios e lavagem de dinheiro já descoberto no Brasil. Os dois assinaram acordos de delação premiada e prestaram uma série de depoimentos às autoridades em troca de possível redução da pena pelos crimes praticados.
Conforme as palavras do procurador Deltan Dallagnol, que integra a força-tarefa do Ministério Público no Paraná, afirmou que as denúncias anunciadas hoje "são apenas o primeiro pacote": abarcam somente o desvio de 286 milhões de reais da Diretoria de Abastecimento da Petrobras, no período de 2004 a 2012. São 154 acusações de crimes de corrupção e 105 de lavagem de dinheiro. Os procuradores exigem nas ações penais a devolução de 1.186.359.417,73 de reais.
"Asseguro que novas acusações serão feitas, inclusive sobre crimes de improbidade administrativa", disse Dallagnol. Os próximos "pacotes" de denúncias deverão contemplar crimes ocorridos em outras áreas da Petrobras, como a Diretoria de Serviços, comandada por Renato Duque, solto na semana passada.
Chefe do Ministério Público, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acompanhou o anúncio em Curitiba e referiu-se ao conteúdo das denúncias como "uma aula de crime". "Essas pessoas roubaram o orgulho dos brasileiros”, afirmou. "A complexidade dos fatos nos leva a intuir a dimensão desta investigação. Seguiremos de forma serena e equilibrada, mas de forma firme e contundente. Cada pessoa, pela disposição legal, responde pelo ato que praticou. Esta investigação chegará até o final dela", completou.

'O primeiro pacote'

ALBERTO YOUSSEF
doleiro e principal operador do petrolão

PAULO ROBERTO COSTA
ex-diretor de Abastecimento da Petrobras

WALDOMIRO DE OLIVEIRA
empregado de Alberto Youssef, dono da MO Consultoria

CARLOS ALBERTO PEREIRA DA COSTA
advogado e gestor das empresas de Youssef, como a GDF Investimentos

JOÃO PROCÓPIO J. P. DE ALMEIDA PRADO
“laranja” de Youssef em contas no exterior

ENIVALDO QUADRADO
empresário dono da Bonus-Banval

ANTÔNIO CARLOS FIORAVANTE B. PIERUCCINI
advogado

MÁRIO LÚCIO DE OLIVEIRA
funcionário de Alberto Youssef

MARCIO ANDRADE BONILHO
executivo da Sanko

ADARICO NEGROMONTE FILHO
irmão do ex-ministro das Cidades
Mário Negromonte (PP)

JAYME ALVES DE OLIVEIRA FILHO
agente da PF que transportava dinheiro do bando

SÉRGIO CUNHA MENDES
vice-presidente da Mendes Júnior

ROGÉRIO CUNHA DE OLIVEIRA
diretor de Óleo e Gás da Mendes Júnior

ÂNGELO ALVES MENDES
vice-presidente da Mendes Júnior

ALBERTO ELÍSIO VILAÇA GOMES
executivo da Mendes Júnior

JOSÉ HUMBERTO CRUVINEL RESENDE
executivo da Mendes Júnior

RICARDO RIBEIRO PESSOA
presidente da UTC

JOÃO DE TEIVE E ARGÔLO
executivo da UTC
SANDRA RAPHAEL GUIMARÃES
executiva da UTC

DALTON DOS SANTOS AVANCINI
presidente da Camargo e Corrêa
JOÃO RICARDO AULER
presidente do Conselho de Administração da Camargo e Corrêa

EDUARDO HERMELINO LEITE, “LEITOSO”
vice-presidente da Camargo e Corrêa

JOSÉ ALDEMÁRIO PINHEIRO FILHO,
vulgo "LÉO PINHEIRO"

presidente da OAS

AGENOR FRANKLIN MAGALHÃES MEDEIROS
diretor-presidente Internacional da OAS

MATEUS COUTINHO DE SÁ OLIVEIRA
diretor-financeiro da OAS Petróleo e Gás

JOSÉ RICARDO NOGUEIRA BREGHIROLLI
executivo da OAS

FERNANDO AUGUSTO STREMEL ANDRADE
executivo da OAS

JOÃO ALBERTO LAZZARI
executivo da OAS

DARIO DE QUEIROZ GALVÃO FILHO
presidente e dono da Galvão Engenharia

EDUARDO DE QUEIROZ GALVÃO
diretor da Galvão Engenharia

JEAN ALBERTO LÜSCHER CASTRO
diretor presidente da Galvão Engenharia

ERTON MEDEIROS FONSECA
diretor presidente da Divisão de Engenharia Industrial da Galvão Engenharia

GERSON DE MELLO ALMADA
executivo da Engevix

CARLOS EDUARDO STRAUCH ALBERO
diretor técnico da Engevix em Osasco (SP)

NEWTON PRADO JUNIOR
diretor técnico da Engevix em Santos (SP)

LUIZ ROBERTO PEREIRA
executivo da Engevix

Nenhum comentário:

Postar um comentário